A compra de um carro usado: como evitar as armadilhas

Pretende comprar um carro usado, mas tem medo de se enganar? Quer seja junto de um particular ou de um profissional, é sempre preciso ser prudente. Um carro usado é um veículo ao qual se oferece uma segunda vida e que, por este motivo, viu passar várias centenas ou milhares de quilómetros no contador. Mas tranquilize-se, estamos aqui para o acompanhar nessa compra. Contamos-lhe tudo!

Aqui ficam os nossos conselhos para comprar o seu veículo e evitar armadilhas.

REALIZE UM EXAME COMPLETO DO VEÍCULO USADO

Acredite apenas naquilo que vê! Interior, exterior, examine o veículo até aos mais pequenos pormenores. Após uma visão do conjunto, veja com atenção a carroçaria, a parte inferior da carroçaria, os pneus, as óticas, os retrovisores. É, em seguida, o momento de abrir o capô. Para além dos níveis (óleo, água) solicite ao vendedor que coloque o motor em funcionamento para ouvir a sua sonoridade. Informe-se sobre a idade da bateria, da correia de distribuição ou, ainda, sobre a última substituição dos filtros (para os veículos diesel). Perguntas que lhe forneçam informações precisas e que o ajudem a concluir sobre a seriedade do vendedor. Se este tiver dúvidas e parecer hesitante, poderá estar a esconder algum elemento problemático. Ao adquirir um carro usado junto de um especialista, terá à sua disposição garantias e a tranquilidade de uma revisão completa antes da venda. Do citadino ao SUV, todos os veículos propostos pela rede DS CERTIFIED são acompanhados com seriedade pelas Filiais DS.

Para ter a garantia de que fala com um especialista, que conhece perfeitamente o veículo vendido, faça as suas pesquisas na página DS CERTIFIED. Poderá ver o veículo, ensaiá-lo e conhecer precisamente o seu histórico. Pretende realizar uma compra de carro usado em total confiança? Escolha os veículos usados DS.

 

Testamunha
Alexandre Marques
Ao adquirir um carro usado, confia no vendedor. Modelo, acabamento, opções, quilometragem, existem muitas informações nas quais deve acreditar, mas também verificar. Assegure-se de que tudo é coerente. Se, para um determinado acabamento, os bancos deverem ser em couro (na descrição do construtor) e forem, na realidade, em tecido, é uma situação duvidosa.